A+ A A-

Alunos da FAI apresentam pesquisas no XII Seminário de Iniciação Científica

Foto geral 1

Apresentar a produção científica dos alunos da Faculdade. É esta a proposta do Seminário de Iniciação Científica da FAI, que este ano celebra sua décima segunda edição.

Realizado nos dias 16, 20 e 21 de fevereiro, o Seminário contemplou 28 projetos, envolvendo 42 alunos de graduação e 25 professores orientadores. Os projetos são desenvolvidos por meio do Pibic - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e financiados pela Fapemig - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais ao longo de 2017.

 

“A novidade deste ano são os projetos desenvolvidos pelos alunos do curso de Ciências Contábeis”, conta a integrante da comissão do Pibic/FAI e organizadora do Seminário, Profa. Ma. Eunice Gomes de Siqueira. De acordo com a professora, os alunos são incentivados a produzir artigos científicos sobre as pesquisas realizadas, submetendo-os à Revista Inicia, produção editorial anual, que contempla trabalhos científicos dos alunos da Instituição. Os melhores artigos são publicados na Revista, além de publicações em congressos e conferências da área no Brasil.

O convidado deste ano para fazer a abertura do Seminário foi o Prof. Dr. Lívio de Carvalho Valeriano, que ministra aulas no curso de Engenharia de Produção da FAI.

Durante sua fala, o professor fez uma breve apresentação de sua formação acadêmica e sua experiência em pesquisa, abordando as vantagens e possibilidades profissionais da atuação em pesquisa. De acordo com ele, a Iniciação Científica – IC - amadurece o estudante, contribuindo para que possa se tornar um formando com habilidades mais refinadas.

Sobre a importância da IC, ele destaca: “É na prática da IC que o estudante pode testar técnicas e teorias aprendidas em sala de aula, ampliar e experimentar seu cabedal de conhecimentos, defrontar o problema “vivo”, real, fora de um ambiente restritamente controlado e teórico de uma sala de aula, ao mesmo tempo em que está seguro de que os erros cometidos também compõem o processo de aprendizado e evolução. Este estudante estará então melhor qualificado e melhor adequado para as situações a serem encaradas fora da universidade”.

 

PROJETOS EM DESTAQUE

Apresentamos alguns trabalhos de pesquisa elaborados por alunos dos cursos ministrados pela Instituição.

“A Realidade do MEI (microempreendedor individual) em Pouso Alegre – MG: a eficácia ou não da categoria”é o título do trabalho apresentado pelo aluno do curso de Administração Pedro Henrique Scodeler Rodrigues, sob a orientação da Profa. Ma. Aline Mariane de Faria. 

 foto 0 Pedro e Eunice

Em sua pesquisa, o aluno abordou as facilidades e dificuldades que os empreendedores têm e as razões daqueles que não estão cadastrados na categoria. E prossegue: “Destaca-se a abordagem social do projeto que verificou o (des)amparo dos microempreendedores pelos órgãos governamentais, sobretudo o Sebrae, principalmente, daqueles que são autônomos, devido à marginalização implicada pela sociedade”.

Sob a orientação da Profa. Dra. Sandra Carvalho, a aluna do curso de Engenharia de Produção Elaine Maria Alves desenvolveu a pesquisa intitulada Marca própria no varejo - estratégia e desafios: estudo de caso em uma rede de supermercados do sul de Minas Gerais”. 

A aluna apresenta um breve resumo do projeto: “O trabalho envolveu o entendimento dos conceitos sobre marca, varejo e marca própria, buscando a partir de um estudo de caso real compreender os desafios enfrentados e as estratégias desenvolvidas para competir em um mercado onde é forte o poder das marcas conhecidas e estabelecidas”.

“As Possibilidades da Educação Patrimonial como Etapa Transdisciplinar na Escola de Base Produzindo Consciência e Defesa da Culturaé o título do estudo da aluna de Pedagogia Ohana Elisa Domingos, orientado pela Profa. Ma. Denise da Silva Segura. A pesquisa foi realizada em duas escolas de Santa Rita do Sapucaí com alunos do ensino fundamental e médio e com professores de história. O patrimônio cultural se encontra vulnerável e é necessário que aconteça uma mudança de mentalidade, que deixe de ser visto como algo arcaico e antiquado e passe a ser percebido como algo de fundamental importância para a formação de cidadãos ativos e conscientes de suas ações. Neste cenário, o trabalho com a Educação Patrimonial nas escolas, justifica-se pertinente e este projeto indaga se este tipo de educação é de alguma forma trabalhada nas instituições escolares de Santa Rita do Sapucaí”, comenta Ohana.

foto 2

A aluna do curso de Ciências Contábeis Luma Marques Pimenta desenvolveu a pesquisa “A Evolução do Perfil do Contador”, sob a orientação do Prof. Me Carlos Alberto Mont’Alvão.

“Com as constantes mudanças no âmbito empresarial, mercadológico e econômico foi possível perceber que houve uma mudança também no perfil do profissional contábil. O projeto teve o ob jetivo de demonstrar, historicamente, como a figura do contador acompanhou o passar do tempo e como tomou a forma e o perfil que conhecemos hoje”, conta a pesquisadora.

foto 3 1
Na foto, a pesquisadora
ao lado da organizadora do Seminário, Profa. Ma. Eunice Gomes de Siqueira.
  

Os alunos do curso de Sistemas de Informação Luanda Sacha Rezende e Rodrigo Mansur Gonçalves são autores do projeto “Vantagens e Desvantagens de um Parque Tecnológico (parte 2)”, que contou com a orientação da Profa. Ma. Rosa Stela Ribeiro de Lorena.

foto 4

Os autores do projeto detalham a pesquisa: “O trabalho tem como objetivo demonstrar a importância de um parque tecnológico para o desenvolvimento social e econômico de uma região. A metodologia utilizada foi a pesquisa qualitativa, através da qual foram obtidos dados, pontuando regiões nas quais os parques tecnológicos fizeram a diferença para o desenvolvimento das mesmas, incentivando o empreendedorismo no ambiente acadêmico”.

Com o título “A Ambivalência entre os benefícios e as incertezas no tratamento de crianças com metilfenidato: um estudo sobre as controvérsias presentes nas decisões de pais sobre medicar seus filhos”, a aluna de Pedagogia Samanta Roberta da Silva Nora desenvolveu seu terceiro projeto de iniciação científica, sob a orientação do prof. Dr. Thiago Freitas.

foto 5

A pesquisadora apresentou em seu estudo as controvérsias a respeito da legitimidade das necessidades de utilização do metilfenidato (conhecido por Ritalina) para crianças em período escolar. “O medicamento é usado para controlar sintomas de desatenção, impulsividade e de hiperatividade relacionados ao Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, explica, ela. Segundo Samanta, “os relatos analisados na pesquisa possibilitaram uma melhor compreensão das implicações do diagnóstico de TDAH na prática dos professores, como também na forma como as famílias se sentem impotentes frente ao diagnóstico dos neurologistas, acreditando que seu filho tem um transtorno”. 

A FAI foi o objeto de estudo para a pesquisa “A Construção da Imagem de Sucesso como Efeito Discurssivo sobre a Instituíção de Ensino FAI – Centro de Ensino em Gestão, Tecnologia e Educação”, de autoria das alunas de Administração Vitória Fraga Ribeiro Morais e Cicília Aquino Custódio, que contou com a orientação da Profa. Dra. Daniella Ferraz Amaral Mont’ Alvão. 

foto 6

Para a elaboração do artigo científico, as autoras mergulharam em pesquisas históricas desde a criação da Instituição em 1971, acompanhando sua evolução até os dias atuais. Sobre os achados da pesquisa, comentam: “O conjunto de ações de uma organização define sua imagem institucional. Sua identidade visual torna-se o fator de memória a respeito da mesma”.

pibid

icone srs icone fapemig icone peet icone bidi  Selo 2017 2018
 

 

blue green orange red

© 2015 FAI - Endereço: Av. Antônio de Cássia, 472 - Jardim Santo Antônio - Santa Rita do Sapucaí - Minas Gerais - CEP: 37.540-000 - Telefone: (35) 3473-3000

Login

Entre com seu usuário