Engenharia de Produção

O CURSO
A PROFISSÃO QUE MAIS CRESCE NO BRASIL
 
Quando se fala em engenharia, logo vem a ideia de vários projetos e cálculos que são precisos desenvolver durante toda a vida profissional. Com a Engenharia de Produção não é diferente. Sua grade curricular tem as disciplinas de cálculos e físicas como toda engenharia, mas é a menos tecnológica e a mais dinâmica em áreas de atuação.

A Engenharia de Produção busca criar, desenvolver e aplicar conhecimento científico e tecnológico para solução de problemas de desempenho de sistemas produtivos de bens e serviços, englobando questões de natureza estratégica, tática e operacional das empresas e organizações em geral.

O curso da FAI está estruturado em oito áreas de conhecimento - Engenharia, Métodos Quantitativos, Engenharia de Produção e Operações, Engenharia de Produto, Engenharia de Qualidade, Meio Ambiente e Segurança, Engenharia Organizacional, Sistemas de Informação e Humanidades, cada uma delas contendo uma sequência específica de disciplinas distribuídas ao longo dos 10 semestres do curso. Cada sequência visa desenvolver as competências, habilidades e atitudes, necessárias à formação, atendendo o perfil do novo engenheiro de produção que é desejado pelas empresas do país.

CALENDÁRIO ESCOLAR

 

Porque é abrangente

A Engenharia de Produção proporciona uma série de áreas de atuação, que vão desde a área de projetos de produto e de fábrica; implantação de sistemas de segurança, qualidade, manutenção, operações; otimização de processos de produção com redução de perdas e melhorias em todos os setores; até prestação de serviços de planejamento, consultoria e análises.

Porque é dinâmica

O dinamismo se percebe já na graduação. As disciplinas são de diversas áreas: engenharias e tecnologias, ambiental, gestão, economia. E no mercado de trabalho é possível atuar em diversos segmentos industriais e em setores diferentes, da gerência à criação de produtos. Além disso, há uma certa interação entre os setores nas atividades relacionadas à Engenharia de Produção.

Porque é objetiva

Apesar de ser dinâmica, a Engenharia de Produção tem um pilar muito importante: obter o máximo de produtividade, com a utilização eficiente dos ativos e recursos da empresa, para que se tenham indicadores positivos e, por consequência, resultados positivos.

Porque proporciona uma visão geral

Por consistir na busca de soluções nas mais diversas áreas, é preciso estudar de tudo um pouco para que se possa desenvolver a habilidade de analisar e pensar que a causa raiz de um problema pode não estar exatamente naquele lugar/máquina/processo que apresentou o problema. Para isso, a Engenharia de Produção também tem base nas áreas das ciências sociais.

 

Com a marca FAI de excelência, o curso de Engenharia de Produção da FAI oferece uma formação profissional moderna e de qualidade, como exigido pelo mercado.

Um diferencial importante do curso é a "produção limpa", baseada em conceitos e princípios ambientalmente sustentáveis. Assim o Engenheiro de Produção da FAI deverá refletir sobre a conservação, reciclagem, reutilização e redução.

Outro destaque é a formação empreendedora que já caracteriza os cursos da FAI, onde o aluno tem oportunidades para desenvolver competências e habilidades importantes como criatividade, flexibilidade, espírito crítico, iniciativa, tomada de decisão e atuação em equipes multidisciplinares.

Os principais diferenciais da Engenharia de Produção da FAI são:

  • Disciplinas específicas da Engenharia de Produção desde o 1º período.
  • Projetos práticos em parceria com as empresas da região em todos os períodos do curso, desde o 1º período.
  • Laboratório “Lean Board Game” com simulador FlexSim.
  • Grupo de Estudos Avançados em Engenharia de Produção GEAEP.
  • Programa de Visitas Técnicas em todos os períodos do curso.
  • Semana Acadêmica da Engenharia de Produção
  • FAITEC – Feira de Tecnologia da FAI
  • Bolsas de Iniciação Científica
  • Revista Inicia
  • Alunos inseridos no mercado de trabalho desde o início do curso por intermédio dos projetos com as empresas da região.

 

O mercado de Engenharia de Produção no Brasil é o que desfruta da melhor situação. Engenheiros de Produção vêm conseguindo boas colocações no mercado principalmente em função do seu perfil que coincide com o que se está demandando nos dias de hoje: um profissional com uma sólida formação científica e com visão generalista suficiente para encarar os problemas de maneira global.

A variedade de áreas de atuação do Engenheiro de Produção tem garantido espaço no mercado de trabalho. O Engenheiro de Produção pode atuar em inúmeras áreas profissionais. Dentre elas, destacam-se: Engenharia de Processos, da Qualidade e de Produtos; Engenharia Ambiental e de Segurança; Gestão de Projeto, Financeira e Tecnológica, Administração, Logística e Operações, etc.

O Engenheiro de Produção pode aturar nas indústrias em geral, coordenando a automatização de processos, no planejamento e no controle da produção, entre outras funções. Mas além de atuar no setor industrial, este profissional também pode aplicar suas técnicas em empresas prestadoras de serviços, como: hospitais, sistemas de transporte, bancos e etc. Ainda, se desejar, o Engenheiro de Produção pode optar por atuar na área acadêmica, ou trabalhar como autônomo e montar o seu próprio negócio.

 

“A FAI sempre foi uma referência de ensino na região, então quando foi divulgada a abertura do curso de Engenharia de Produção fiquei ainda mais instigado a conhecer a instituição. Mesmo assim, optei por sair da cidade e cursar na UNISANTOS - Universidade Católica de Santos, onde cursei por 2 semestres. Resultado de tudo isso: Tranquei matrícula, resolvi prestar vestibular na FAI, fui aprovado e hoje sou bolsista PROUNI. Agora posso afirmar, já que tenho como comparar requisitos de uma faculdade com outra, que a FAI é o que dizem: Ensino de qualidade com professores altamente preocupados em passar conhecimento. Tenho a sensação de uma aproximação mais afetuosa com os professores e os funcionários da instituição, justamente por darem essa abertura a nós, alunos, e isso realmente é um diferencial FAI. Outros pontos importantes que eu tenho a satisfação de elogiar, é a seriedade do cumprimento das normas e plano de ensino tanto didático quanto administrativo. Infraestrutura muito bem organizada. Além disso, o curso de Engenharia de Produção foi muito bem estruturado para sua abertura, onde o aluno consegue dimensionar o que é ser engenheiro e quais suas atribuições que futuramente irá exercer no mercado de trabalho. Desde o início do curso fui inserido no dia a dia das empresas da região por meio do projeto integrado que compõe a grade curricular e foi assim que consegui estágio e há poucos meses ser efetivado na empresa que atualmente trabalho. É uma satisfação ser um aluno FAI.”

Glauco Morais, aluno do 7º período do curso de Engenharia de Produção.

 

“Eu escolhi a FAI porque Engenharia de Produção era o curso que eu queria. Já fiz outras engenharias, na UNIFEI e no Inatel, mas quando optei pela Engenharia de Produção, optei pela FAI e não me arrependi. O curso daqui tem uma imersão industrial absurda mesmo, eu já cursei engenharia em duas outras faculdades e posso falar, a imersão que a gente tem aqui não existe em outros lugares. O contato direto com as empresas, as visitas que a gente faz, é bem forte isso. Quanto a empregabilidade, é excelente, até porque, a capacitação é feita para isso. Os cursos de extensão da FAI, os palestrantes convidados, as certificações extracurriculares, tudo isso agrega para o nosso currículo, tanto é que quando a gente vai fazer entrevista de emprego, já chegamos com a certificação 6-sigma green-belt que é internacional e até hoje nunca vi em nenhuma outra faculdade, pelo menos não sem cobrar a mais por isso. Temos como referência projetos dos próprios professores, que são renomadíssimos e de várias áreas especificas, é ótimo corpo docente. Na época, eu estava meio em dúvida em cursar Engenharia de Produção na FAI, porque já havia passado por duas faculdades, então entrei em contato com a antiga coordenadora de Engenharia de Produção, a Sandra Carvalho, que me apresentou todo o plano do curso, no que ele foi baseado, nas melhores faculdades e em todas as regulações do MEC, foi o que faltava para eu sentir confiança, porque vi que era bem feito, com o melhor do melhor, bem bolado mesmo e inovador. Então decidi arriscar e só vem dado certo. Já estagiei em várias áreas da Engenharia de Produção”.

Mateus Meirelles, aluno do 7º período do curso de Engenharia da Produção.

 

ai-engenharia-de-producao-aula.png

fai-engenharia-de-producao-congresso-expomafe-13-05-2019.png

fai-engenharia-de-producao-iniciacao-cientifica-11-02-2019.jpg

fai-engenharia-de-producao-palestra-30-03-2019.jpg

fai-engenharia-de-producao-visita.jpg

fai-engenharia-de-producao.jpg

O corpo docente do curso de Engenharia de Produção é constituído por professores com formação acadêmica de ponta, com 91% de mestres e doutores, além de possuírem experiência prática de mercado. São eles:

Prof. Ma. Adriana de Moraes Pereira Santos

Prof. Dr. Aldo Ambrósio Morelli

Prof. Me. Alexandre Franco de Magalhães

Prof. Esp. Anderson Silva de Souza

Prof. Me. Benedito Márcio Barbosa Magalhães

Prof. Me. Carlos Alberto Mont'Alvão

Prof. Ma. Caroline de Miranda Borges

Prof. Ma. Christina Telles Borges

Prof. Ma. Claudia Mesquita da Silva Gomes

Prof. Dra. Daniella Ferraz Amaral Mont'Alvão

Prof. Ma. Juliana Helena Daroz Gaudêncio

Prof. Esp. Kennedy Barros Dias Leão

Prof. Me. Leonardo Albergaria Olivera

Prof. Me. Mário Bacic Júnior

Prof. Me. Nivaldo Gonçalves de Faria

Prof. Me. Paulo Fonseca Junior

Prof. Me. Rafael Costa Ferreira

Prof. Esp. Roberto de Souza Porto

Prof. Me. Rodrigo Renó Gonzaga

Prof. Ma. Rosa Stela Ribeiro de Lorena

Prof. Ma. Sônia Regina Pereira Faria Barros

Prof. Me. Vinícius Antônio Montgomery de Miranda

Prof. Dr. Vinícius Fortes de Castro

Prof. Me. Wilson Alixandrino da Silva